Please reload

Posts Recentes

Intercâmbio sobre Turismo Rural é realizado na Paraíba junto as comunidades atendidas pelo Procase

1 Jun 2019

     Divulgar experiências e trocar conhecimentos foram os principais focos do Intercâmbio de Turismo Rural, ocorrido no Interior da Paraíba, entre os dias 27 a 31 de maio, em uma ação que envolveu 3 Estados (Paraíba, Piauí e Pernambuco) e o Distrito Federal, com a participação de cerca de 25 pessoas beneficiárias de projetos apoiados pelo Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA), no Brasil. O intercâmbio foi uma realização do FIDA e do Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA), através do programa Semear Internacional, em parceria com o Governo do Estado da Paraíba, através do Projeto de Desenvolvimento Sustentável do Cariri, Seridó e Curimataú (Procase) e a Corporação Procasur.

 

      O intercâmbio, que teve como tema: Turismo Rural no Semiárido –  Conhecer, valorizar e manter o semiárido brasileiro, teve início no dia 28 de maio com a abertura oficial, realizada no campus da Universidade Federal da Paraíba da cidade de Areia, onde os participantes foram recepcionados pelo coordenador do Projeto de Desenvolvimento Sustentável do Cariri, Seridó e Curimataú, Aristeu Chaves, pela gerente de Gestão do Conhecimento do programa Semear Internacional, Aline Martins, e pelos consultores Andréia Roque e Valério Bastos , do Procasur.

       Na ocasião, o coordenador do Procase, Aristeu Chaves, falou da importância da experiência para todos os participantes, do desenvolvimento da agricultura familiar e do turismo para toda a Paraíba: “nós nos sentimos extremamente honrados em receber diversos Estados aqui, para conhecer um pouco das nossas atividades e acompanhara evolução de muitas áreas, em especial o turismo rural no semiárido”, afirmou Aristeu.

          Após a abertura os participantes dirigiram-se ao sítio Pirauá, também em Areia, para conhecer o projeto Flores Vila Real, formado por um grupo de mulheres que, com muita força de vontade e coragem, aliadas a parcerias com Instituições – a exemplo do Sebrae e Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e da Prefeitura Municipal – conseguiram ampliar sua produção de flores de diversas espécies e expandir o comércio para outras cidades e regiões. 

 

 

    Em seguida, o grupo conheceu o Restaurante Rural Vó Maria, na comunidade Chã de Jardim, localizado na divisa das cidades Areia e Remígio, onde aproximadamente 200 famílias vivem do turismo rural aliado ao artesanato (feito da palha da bananeira), à culinária local, ao cultivo de frutas e comercialização de polpas.

            A coordenadora do projeto, Luciana Balbino, acompanhou o grupo em visita à fábrica e falou sobre a produção. “A nossa polpa é orgânica, sem conservantes, sem água, sem nenhum produto químico”, acrescentou. Todos participaram de uma trilha guiada pela mata atlântica (serviço que é oferecido aos turistas no local), tendo encerramento com a atração musical Rejane Ribeiro e um piquenique, realizado na própria mata.

    No segundo dia, as atividades no Cariri Oriental paraibano tiveram início em uma visitação a Arteza - Cooperativa de Curtidores e Artesãos em Couro de Ribeira de Cabaceiras. Os participantes puderam conhecer a história da Associação, que desde seu início é primordial para a economia local e no comércio de produtos feitos em couro, a exemplo de bolsas, chinelos, cintos, carteiras, chapéus, colares e chaveiros. A atividade incluiu uma visitação a loja da empresa e ao curtume, que utiliza um processo de curtimento de origem vegetal e não polui o meio ambiente.

   A experiência continuou no distrito do Marinho, próximo ao município de Boquerião, onde todos foram recepcionado pelas Crocheteiras do Lajedo do Marinho, um grupo formado por mulheres empreendedoras que enxergaram nas linhas e agulhas uma oportunidade de empreendedorismo e geração de renda. Lá, puderam conhecer um dos principais pontos turísticos da região: o Lajedo do Marinho, onde foram recebidos pelo condutor Nadilson Valentim, que durante a trilha falou sobre os sítios arqueológicos e as pinturas rupestres.

       Após o almoço (que foi servido no próprio Lajedo), as artesãs Carmem Lúcia e Maria Suelene falaram sobre o surgimento da associação e como elas conseguiram aliar o artesanato ao serviço turístico. Ainda foi promovido um desfile de moda, onde algumas participantes do intercâmbio puderam exibir os lindos trabalhos em artesanato feito pelas crocheteiras. A atividade encerrou-se com direito a um magnífico pôr do sol.

 

Seguindo com a programação, no terceiro dia a visitação começou na Associação de Lideranças, Organizações, Agricultores e Agricultoras Familiares do Cariri Paraibano – CASACO, localizada no município de Boqueirão. Lá, todos foram recepcionados por Célia Araújo, que falou sobre a importância da Associação para a agricultura familiar, por meio do desenvolvimento de ações junto às famílias agricultoras e organizações sociais, sobretudo do campo, através da adaptação e construção de tecnologias sociais de captação e armazenamento da água da chuva, produção agroecológica, conservação e comercialização de sementes e comercialização dos produtos dessa agricultura familiar, que é realizada na Tenda Agroecológica, localizada na sede da associação, que trabalha exclusivamente com produtos orgânicos, oriundos dos sítios de agricultores locais, a exemplo da Senhora Socorro, do Sítio Bento, que abriu as portas da sua residência para que o grupo conhecesse boas práticas ecológicas. Outro sítio visitado foi o do Senhor Agustinho, em Três Lagoas (Boqueirão), onde foi possível conhecer o Sementes da Paixão, um projeto no qual as sementes crioulas ou nativas são cultivadas e conservadas pelas famílias camponesas há várias gerações. Os participantes também aprenderam a fazer queijo de leite de cabra e puderam conhecer os currais de caprinos e ovinos do Senhor Agustinho, onde alguns até se arriscaram na técnica da ordenha manual nas cabras. 

 

   O término do intercâmbio aconteceu na sexta-feira, dia 31, no município de Cabaceiras, na Festa do Bode Rei, considerada o maior festival de caprinos e ovinos do Brasil, onde o coordenador do Procase, Aristeu Chaves, participou da palestra de abertura falando do papel do projeto na região. Em seguida, o grupo reuniu-se com vários representantes do Procase e com a presidente da Empresa Paraibana de Turismo (PBTur), Ruth Avelino, onde puderam discutir o turismo local e trocar relatos de experiências adquiridas durante o intercâmbio.

         Na parte da tarde, o prefeito de Cabaceiras, Tiago Castro, levou os intercambistas para conhecer toda a estrutura da Festa do Bode Rei, que é considerada o maior evento de caprinos e ovinos do Brasil. A programação incluiu visitação aos estandes de comercialização de produtos feitos à base do couro e degustação de produtos e bebidas feitas a base de carne de bode e do leite de cabra. Também foi possível visitar a exposição de animais e conhecer diversos locais da cidade que foram utilizados como set de gravação em várias obras cinematográficas do País.

         O intercâmbio foi considerado um sucesso, com muito enriquecimento dos participantes que poderão replicar as experiências de sucesso em suas comunidades, difundindo conhecimento e técnicas utilizadas na Paraíba, o quarto estado do Nordeste com mais produtos e roteiros do turismo rural.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Please reload

Central de Notícias

mulher

Arquivo